Seguir ou não seguir, eis a questão


"Ser ou não ser, eis a questão..." disse Shakespeare através de Hamlet. Seguir ou não seguir, digo eu. Porque este é um tempo curioso em que erros são justificados por conta de erros que outros cometem. Seguidores são todos então?

A ti te basta seguir o mais fácil, ficar no raso, não ir além? Ou a ti te encanta fazer mais, entender mais, exigir-te mais, alcançar mais?

Vivemos à base de expectativas. Abro jornais e vejo mais expectativas e opiniões do que fatos e análises de causas. Quantos se imobilizam, aguardando para onde seguir? Quantos avançam, definindo um caminho por si? Seguir ou não seguir, eis a questão.

E isto não significa nunca seguir um exemplo. Bons exemplos devem ser seguidos! Sim! Já os exemplos que são maus, fracos, inseguros, precipitados, perigosos, não inteligentes é que não merecem ter seguidores, nenhum que seja.   

Os outros chegam atrasados? Chegue na hora. Os outros não cumprem a palavra? Cumpra a sua. Os outros não entregam como devem? Faça a sua entrega no tempo e no escopo acordados. Os outros pedem o negócio do cliente? Demonstre o valor do que vende. Os outros não fazem diagnóstico? Faça perguntas. Os outros reagem? Responda

Tão simples isso. Exija-se e siga-se. Você, eu, todos. O dever vem antes de direito, lembra? Pelo bom exemplo, e até sem notar, um pode formar seguidores.

Comentários