Que esporte influencia o estilo de liderança de cada um?

"Quando se está esquiando, se você não se inclinar para a frente e não for agressivo não chegará a lugar algum". Quem diz isso é James Quincey, novo CEO da Coca-Cola, citando o esqui como um dos fatores que influenciaram o seu estilo de liderança.

Pelas tantas horas dedicadas, pela paixão que nasce da prática, pelo aprendizado concreto da relação que há entre causa e consequência (não treinou? não ganhou...), o esporte nos molda positivamente, sim... Esportes de times criam a especialização e incentivam a cooperação e a atuação conjunta. Esportes individuais reforçam a autossuficiência, o esforço máximo. Para um vendedor, a prática de esportes competitivos a partir da infância lhe dá resiliência. Resiliência é fundamental para lidar com as perdas que podem vir entre os ganhos da venda.

Competitivamente, joguei basquete entre os 11 e 15 anos. Tinha uma cesta em casa, passava horas arremessando, bem além das horas de treino no colégio e no clube. Quanto mais arremessava, mais entendia a bola em seu caminho até a cesta. Sabia que quanto mais treinasse mais ganharia.

Mas se alguém me perguntasse qual foi o esporte que mais me influenciou no meu estilo - e esta pergunta eu me fiz ao ler a frase de Quincey -, eu certamente mencionaria o frescobol.


O frescobol é um esporte extraordinário porque o prazer está em manter a bola no ar. Com mais ou menos força, com cortadas ou não, o prazer de jogá-lo está em dar (e receber) bolas perfeitas para (e de) quem joga com você. Pode-se contar pontos ou não. Mas nada se compara àquela alegria que se sente quando um parceiro do seu nível já está na areia da praia com uma raquete na mão esperando por você. Diversão e exercício garantidos à frente.

A brisa da praia e o mar cristalino aos pés (aguardando carinhoso o seu mergulho suado) completam o quadro e o momento perfeito. Frescobol é isso.

Mas, voltando à frase de Quincey, que influência um jogo assim traz para quem o pratica? Muitas influências! Máxima atenção, observação, antecipação, cordialidade, entendimento sobre o outro, fluxo, saber quando ousar e quando responder à ousadia do outro. A proficiência do outro ajuda à minha, e vice-versa.

Ver-me como parte de um conjunto onde dependo do outro (e ele depende de mim) e responsabilizar-me inteiramente pelas minhas ações (e tão bonito é o "foi mal!" que dizemos um ao outro quando erramos a bola...) são aprendizados que tenho repetidamente na areia de uma praia (benditas praias!) quando jogo frescobol.

E você? Que esporte influencia o seu estilo de liderança?

(RH, olha a dica...)

Comentários