Emoções destrutivas resultam de erros de julgamento

"Nada é tão lamentável e nocivo quanto antecipar desgraças". Esta reflexão vem de Sêneca, célebre pensador estóico - e eu, otimista que sou, reflexiva fico...

Distinguir preocupação de agouro, enxergar a diferença entre apreensão e antecipação de desgraças...  não é este o nosso desafio diário em casa, na rua e no ambiente de trabalho? Em que exato momento atravessamos tal linha?

A mãe que repete que a criança vai cair - ao invés de lembrá-la a ter equilíbrio... o pai que repete que o jovem não vai passar no vestibular - ao invés de conversar com ele sobre suas melhores possibilidades... o funcionário que se imobiliza porque teme ser demitido - ao invés de se dedicar ao trabalho que gosta e sabe bem fazer... o vendedor que cede sob pressão para não perder um possível cliente - ao invés de se manter firme nos princípios com que vende e faz a sua entrega... o crítico que critica - ao invés de fazer perguntas e apontar alternativas para o bem do outro... não estão todos antecipando desgraças?

O pensamento claro e imparcial permite a compreensão da razão de cada um. A ironia é que julgamos ter pensamentos claros e imparciais, esquecendo-nos do fenômeno da paralaxe...

O que nos salva é a honra e a confiança.

Comentários