Quem trabalha mais tempo encontra mais soluções

O tempo que se gasta trabalhando num problema é diretamente proporcional à qualidade das soluções que vamos encontrando. Quem trabalha mais tempo encontra mais soluções. Simples assim.

Sim, esta não é apenas uma questão de "tempo". Profissionais mais qualificados e focados podem chegar a soluções em menos tempo, sim. Mas a colocação não inclui comparações entre pessoas qualificadas ou não. A colocação inclui a comparação entre você e você próprio ou a comparação do profissional A com o profissional B, ambos qualificados. Quem trabalha mais tempo encontra mais soluções.

Quem trabalha muito com um foco específico (metas!) ganha no acerto e até no erro (compreender o que algo não é ajuda a entender o que é, lembra?).  O tempo que gasta é "necessário" para que o problema mergulhe na consciência e na "inconsciência". Não é à toa que os muito focados vivem momentos de "insights" ou "percepções apuradas" do que fazer! Estes momentos não são programados, vêem, sem aviso. E tê-los não é uma qualidade aprendida. Simplesmente respondem à nossa "total" dedicação ao problema, necessidade ou desafio... São momentos mágicos...

Como observo esta que sou com muita atenção - e somos nossos maiores campos de aprendizado, sim? -, tenho e sigo 2 compreensões para os períodos de alto foco, quando "preciso" de insights:
  1. vou dormir depois de ter lido e estudado o foco do trabalho: o sono é um grande espaço de incubação e circulação para o problema, necessidade ou aspiração que tenho e, quanto mais me dedico ao estudo antes de dormir, mais criativas e inspiradas são as manhãs seguintes; 
  2. o que é acreditado, falado, pensado, escrito, visto, trabalhado, sentido e repetido "com frequência" tem "força energética própria". Como muito bem nos ensinaram os nossos antepassados, "colhe-se o que se planta". A vida parece confirmar expectativas - boas e más...
Quando possível, leia, estude e trabalhe antes de dormir. Plante apenas boas sementes. Quem trabalha mais tempo encontra mais soluções.

Comentários