Do you speak English?

Desde pequena quis falar em inglês. Meus pais viajavam bastante. Trabalhos, escritos, leituras, estudos, viagens, esta era a rotina deles - e, uns mais, outros menos, também dos filhos nos estudos. Quem muito viaja nesse pequeno grande mundo precisa se comunicar não só no seu idioma nativo mas no idioma do lugar onde se está. Claro estava que outro idioma eu iria falar.

Assim aconteceu. Bem jovem, fui estudar no exterior. 1, 2, 3 vezes, em cidades diferentes, fazendo estudos diferentes, em momentos diferentes. O sonho da criança se tornou real e, desde então, tem ajudado não só a mim mas também a quem ajudo com o conhecimento do idioma.

Quantas pessoas conheci, quantas pessoas apoiei, quantos lugares fui, quantos livros li, quanto conhecimento absorvi, quantos negócios fechei. Quanto vi de um mundo muito maior e diverso do que poderia imaginar - e que bem isso me fez, quanto aprendi... Quanto tive de conviver com a humildade ao não traduzir o que pensava durante a transitoriedade do aprendizado. E quanta independência atingi ao fluência adquirir!

Se você está lendo este texto e pensando no tempo que passou sem você priorizar o inglês, lembre que nunca é tarde para aprendê-lo. Nunca é tarde para você ir além da fronteira do português, nunca é tarde para mais independência você ter num mundo tão conectado!

Com tantas escolas, cursos, possibilidades e aplicativos disponíveis, comece pela "decisão" de começar. Consistência e dedicação, com foco e objetivo claros, serão fundamentais. Não adie. Se você sente falta do inglês, não adie dele se aproximar.

Quando vejo minha jovem filha, fluente no inglês e dedicada ao trabalho como ela é, começando a absorver e falar francês com a ajuda de um aplicativo no smartphone, vejo, feliz, as múltiplas possibilidades disponíveis para quem quer ir além.

E você? Vamos além?

Comentários