Autorreferência liberta

E se ele não confiar no outro, eu vou imaginar as tantas vezes que ele já se decepcionou. E se ele não confiar em mim, dou-lhe tempo e espaço para em mim confiar. E se ele não confiar nele próprio, dia chegará em que ele se auto encontrará.

E se ele só fala, mas não age como fala, imagino as tantas vezes que ele esperou o que não viu, que ele ansiou o que não chegou. E a marca que isso deixou. E o que ele, tortuosamente, aprendeu. E a repetição desta dor que ele perpetuou - e nem percebeu.

E se olhar amoroso e paciência existem em mim, isto acontece porque autorreferência há. Na autorreferência, trago para mim tudo o que me acontece - sem querer julgar, culpar, depender, esperar ou reclamar "do outro". E o que me acontece é sempre fonte de aprendizado. Se aprendo, ganho, cresço, evoluo. Simples assim. Como não aceitar? Como não querer entender o outro se este entendimento, de alguma forma, vai me ajudar a me entender?

Autorreferência salva. Autorreferência liberta. Autorreferência é a capacidade de referir-se a si mesmo, é ser-se, ter-se, aprender-se, decidir-se, é viver-se.

Autorreferência é ver-se por completo: atento aos outros, inteiro nas relações, mas, principalmente, em contato e íntegro com o que um é.

Comentários