Fechados como caixas?

"Se ele fosse melhor... Se ela fosse menos... Se o grupo fizesse isso..."

Reconhece-se falando assim?

Tão bem intencionados que somos e nos esquecemos de um detalhe que é fundamental: o quanto realmente nos interessamos e nos dedicamos a ajudar o outro. E este interesse e dedicação não significa trabalhar por eles. Não. Pelo contrário. Significa que...

... você é o exemplo vivo, personificado, da autodisciplina e dedicação que espera deles
... você ajuda-os a investigar causas e consequências no contexto em que "vocês" se relacionam
... você mostra respeito por eles
... você dá tempo a eles...
... você exige a disciplina deles
... você apoia o crescimento deles

"Tantos são fechados em si mesmos como caixas. Ainda assim, eles se abririam se você estivesse realmente interessado neles." (Sylvia Plath)

O quanto você está interessado, genuinamente vendo e ouvindo quem está ao seu redor? De família a associados e clientes, o quanto eles se sentem vistos, ouvidos e respeitados por você? 

O quanto eles estão se abrindo a você? O quanto eles continuam fechados? O quanto está sendo perdido quando todos, um ou alguns se fecham?

Comentários