Qual é a sua oferenda?

Cruzei parte da cordilheira dos Andes a pé mais uma vez neste mês de setembro. Cada peregrinação tem um aprendizado, alarga minha visão. Desta vez, a observação da cultura inca de "oferecer antes de pedir", tão ainda em prática nos Andes, foi o que mais me chamou a atenção.

Oferendas são a base do relacionamento dos andinos com seu sagrado. Em qualquer ritual, da missa católica à benção xamânica, o princípio está na oferenda, no que as pessoas oferecem ao Maior. O pedido? Não é o mais importante, vem depois. O dever vem antes do direito, a oferenda vem antes do pedido. Penso na nossa cultura, onde promessas nada mais são do que o exercício do "pedir antes de oferecer", do direito antes do dever, e esta constatação me incomoda...

Passo a adotar o costume inca. Num ritual xamânico, ofereço meus óculos, meu instrumento de visão (logo vi as possíveis consequências do que tinha feito, ainda bem que o xamã abençoou e devolveu os óculos... :-) ). Cruzando a cordilheira, ofereço 3 folhas e um sopro com intenção, seguindo os nativos. E, numa missa católica, minha oração e contribuição no ofertório passam a preceder o meu pedido.

Oferecendo o que tenho para honrar o que quero, chego um pouco mais perto do alto, dos outros, e de mim mesma...

Comentários