"E agora? Vai deprimir?"

"Tenha seu objetivo muito claro, foque na sua meta", etc. Ouvimos e falamos isso com frequência e tudo isso é importante e necessário, sim. Mas, em alguns momentos, não basta definir, focar e trabalhar muito para o que se quer. Mesmo definindo, focando e trabalhando muito, em alguns momentos a vida traz atalhos, desvios, contornos, paradas e becos sem saída que não entendemos nem quando estamos frente a frente com eles. "E agora? Vai deprimir?" (Márcio Libar)

O que um executivo no topo faz quando se descobre com câncer? O que um profissional faz quando quer largar tudo, sem nem saber bem o porquê? O que alguém faz quando não suporta a ideia de se ver largado, sozinho, endividado? O que fazer quando parece que não há mais o que fazer?

Se fosse tão fácil viver, pouco seria o aprendizado. E aprendizado é, no Maior, o nosso grande objetivo e meta. Aprender sobre nossas relações, sobre quem nos rodeia (família, amigos, mentores, clientes, associados, fornecedores, parceiros, vizinhos, conhecidos, desconhecidos) e sobre nós mesmos (quem é você?), aprender com o que lidamos (nossas cidades, regiões, mercados, produtos, serviços, tecnologias, oportunidades, ameaças), aprender a descobrir o novo, a redescobrir o velho... aprender a ver, a ser e a fazer diferente...

"A dúvida limpa a mente." (J. Krishnamurti)  Nas horas de dúvida, de caos, nas horas em que formos pegos de surpresa por ocorrências externas além do controle, é muito bom não esquecer que vida é aprendizado e é movimento. Os momentos passam, e o que importa é seguir, confiante ou não, no movimento. Quer ficar triste, quer chorar? Perdeu algo que não queria ter perdido? Fica triste um pouquinho, chora um pouquinho, Libar lembra... mas segue. Investiga. Vai. Aprende. Seguindo e aprendendo, vá vendo como seus limites (e vitórias) vão se expandindo.

Comentários