O problema está em não ser visionário

O fato dos outros não verem o que você vê não significa que você não vê. Significa apenas que os outros não vêem o que você vê!

Esta é uma questão real, um fato: visionários lidam diariamente com a descrença de muitos dos que o rodeiam. Ele vê um mercado, ele vê um modelo de negócios, ele vê uma tecnologia, ele vê um produto, ele vê um serviço, que os outros não vêem. Por não verem, estes que não vêem invalidam o que os visionários vêem. A questão-chave é não se perder nessa tentativa de invalidação. O problema não está no visionário. O problema está em não ser visionário!

Porque quem não é visionário está condenado a copiar, a vir depois. Muitos assim se comportam. É muito mais fácil fazer o que outros já fizeram, desenvolver o que outros já desenvolveram, se comportar da mesma forma que outros já provaram ser a forma mais adequada, vender como tantos outros. E, interessantemente, mesmo na cópia há a chance de inovar com pequenas visões do novo. Inovações incrementais não são tão contestadas, são mais facilmente aceitas.

O fato é: o mundo está repleto de oportunidades e, ainda assim, há os que apontam, críticos que são, o muito que há a fazer no novo, mudando o foco da inovação para a distância da perfeição. Enxergar oportunidades é ter visão. Desenvolver mercados, produtos e serviços é ter visão. Ter visão é ter a chance de se colocar à frente dos concorrentes e ao lado dos clientes. Você tem visão?

Mais importante do que o que você é é o que você constrói com o que você é. Essa máxima se adequa a empresas e a profissionais. Levanta a cabeça e tenta realmente enxergar as oportunidades que existem para a sua competência! Vê?

Comentários