Competência e relacionamento. Sim, juntos.

Relacionamento sem competência técnica para servir não prospera. Fato. Mas competência sem relacionamento também não prospera. A competência técnica, profissional, nos qualifica para uma ocupação, mas é a capacidade de relacionamento com clientes, associados, superiores e pares que facilitará (ou não..) o nosso desempenho na ocupação..

A pergunta que permanece é: por que problemas de relacionamento causam tantos atritos em grupos de trabalho? Será que é por causa do ego de cada um (ou de algum ou alguns do grupo)?

O quanto o ego de cada um (ou de um ou uns) nos impede de ver o quanto dependemos dos companheiros de trabalho? E, perceba, a falta de ego para entender que o resultado do seu trabalho será melhor e mais completo com a ajuda dos outros é uma boa dependência se na medida certa, sem criar gargalos, priorizando o que é prioritário e não o que a nossa vontade quer impor como prioridade.

O quanto o ego de cada um (ou de um ou uns) vive nos colocando em concorrência, gerando mais atritos? Se o chefe é visto como inadequado pelos subordinados, os atritos e as críticas que minam qualquer relacionamento aumentam muito. Competência em algum ponto, reconheça, ele teve. Foi ele o escolhido. Criticar vai mudar a escolha? Não se ela não depender de você.. Então aceite a realidade como ela é e não como você gostaria que ela fosse!

Critique menos, instrua mais. Reclame menos, ajude mais. Dê-se conta se você está usando e aprimorando o seu talento no que faz e perceba o valor das pessoas que o rodeiam no que fazem e no que são. Junte a sua competência ao bom relacionamento que você ajuda a construir na sua empresa e você viverá dias de trabalho muito mais plenos, garanto...

Comentários