Não é certo? Descartado, nem entra como opção.

Tomamos decisões todos os dias. Algumas são muito simples (com que roupas iremos, o que comeremos no almoço..). Outras, já não são tão simples, dependem de outros e podem gerar custos (a que horas poderemos sair da reunião hoje, quando teremos o ok para a nossa proposta, quando começaremos a implantação..). Mas há outras ainda que são decisões "definidoras". Essas são como encruzilhadas, que podem nos levar por um bom ou mau caminho, dependendo das nossas escolhas.

Curiosamente, essas decisões definidoras, as mais importantes na nossa vida profissional e pessoal, só precisamos tomá-las uma única vez na vida. Mas teremos que lembrar e respeitar o que decidimos todos os dias.. com firmeza, sem nenhuma dúvida...

Um exemplo de decisão definidora é fazer o que é certo. Tomamos essa decisão em algum momento lá atrás, no início da nossa vida adulta. Aquele momento foi o de uma revelação pessoal, quando estávamos completamente a sós, e quando ficou claro o propósito que queríamos dar às nossas vidas. E, esta decisão tomada, com a profundidade em que foi tomada, é do tipo que deverá ser respeitada, confirmada, todos os dias, em todas as situações, sem nenhuma exceção.

Decidir pelo fazer o certo, sempre, elimina de pronto várias opções, caminhos, situações, e nos deixa livres para escolher o muito que podemos fazer entre o que é completamente certo.

Decidir pelo fazer o certo, sempre, é um parâmetro que nos permite ser ainda mais ágeis naquelas decisões que são as mais importantes: "É certo? Ok, consideraremos. Não é certo? Descartado, nem entra como opção."

Comentários