Se é consequência, temos que tratar a "causa"

Causa ou consequência?

A todo momento temos que ter uma visão clara e precisa se o que nos acontece é uma causa ou uma consequência. Se é causa, deve ser tratada para evitar eventuais consequências negativas. Se é consequência, temos que fazer o caminho reverso, indo para trás, tentando achar "a causa" para, daí sim, tratar para evitar mais instâncias de uma consequência negativa que, infelizmente, já se tornou real...

Se, repetidamente, "clientes não se interessam pelos produtos e/ou serviços de software que um vendedor vende", isso é uma causa ou consequência?

Consequência, certo?

Consequência de que? A maioria tenderia a pensar que o problema estaria, isoladamente, na figura pessoal do vendedor.. Mas... será?...

Se clientes não se interessam pelos produtos e/ou serviços de software que um vendedor vende, as causas poderiam ser várias:
- há mais pontos fracos do que fortes nos recursos, processos e/ou valores da empresa vendedora
- há concorrentes com melhores ofertas
- os clientes não precisam do que o vendedor está oferecendo
- o vendedor está oferecendo a um público-alvo mal definido
- o software não tem diferenciais naquilo que o cliente deseja
- o canal de venda não está junto do cliente quando o cliente quer comprar
- o vendedor não tem material de apoio que mostre o valor do software
- a prospecção ativa está deixando a desejar
- a abordagem ao cliente é insegura e imprecisa, dificultada pelo não uso de números (sobre números, veja aqui)
- os vendedores da empresa não compartilham entre si "como" têm vendido com mais facilidade

Sim?

Aplicada e seguida, a Engenharia de Vendas ajuda empresas brasileiras de software a evitar que erros repetidos, confundidos quanto às causas, levem delas a chance de vender mais e melhor...

Comentários